sábado, 8 de agosto de 2020

DONA DA RICARDO ELETRO PEDE RECUPERAÇÃO JUDICIAL E FECHA TODAS AS LOJAS FÍSICAS




A varejista Máquina de Vendas, controladora da Ricardo Eletro, entrou nesta 6ª feira (7 de agosto de 2020) com pedido de recuperação judicial e anunciou que vai fechar todas as cerca de 200 lojas físicas. A empresa tem dívidas que somam mais de R$ 4 bilhões. O objetivo a partir de agora é reforçar o comércio eletrônico.

A companhia anunciou que vinha fazendo 1 esforço para superar crises anteriores. “Havia 1 processo de retomada em curso, mesmo com a estrutura de capital ainda fragilizada, que foi interrompido por conta da pandemia de covid-19“, escreveu em comunicado.

A Máquina de Vendas explicou que enfrentou dificuldades em receber produtos chineses a partir de janeiro, quando houve a paralisação das atividades na China por causa da pandemia. “Em seguida, houve 1 estrangulamento de caixa provocado pelas necessárias medidas de distanciamento social também no Brasil“, disse. Por isso, “adotou a decisão por encerrar todas as suas lojas físicas e focar na interoperabilidade“.

A ideia é focar no comércio por meio de canais digitais e em parcerias com pessoas físicas e outras empresas. Segundo a Máquina de Vendas, o objetivo é lançar “1 novo modelo de negócio, inédito para o setor de varejo da Ricardo Eletro, por meio do qual qualquer pessoa, empresa ou loja terá a possibilidade de vender os produtos da empresa, aproveitar a marca, a malha logística e toda estrutura digital da Ricardo Eletro para se tornar sua parceira”.

Além da Ricardo Eletro, a rede é dona das marcas Lojas Salfer, CityLar, Lojas Insinuante e Eletroshopping.

Sobre a Máquina de Vendas

A Máquina de Vendas é uma das maiores empresas do varejo brasileiro. Controladora de redes como Ricardo Eletro, Insinuante, Salfer, City Lar e EletroShopping, conta com ampla rede de estrutura para atender seus clientes, sendo a empresa responsável por democratizar o acesso ao consumo no Brasil. Sua missão agora é democratizar o acesso à internet para as classes menos favorecidas, adotando 1 novo modelo de negócio para estar onde o cliente está. Adotou a decisão por encerrar todas as suas lojas físicas e focar na interoperabilidade e no modelo de parceria, somado à força do seu site. Em agosto de 2020, são mais de 2.000 mil colaboradores diretos e parceiros e mais de 160 mil itens disponíveis em canais de venda.


FONTE: Poder 360




Nenhum comentário:

Postar um comentário