sexta-feira, 4 de dezembro de 2020

GOVERNO DA BAHIA PROIBE SHOWS E FESTAS COM QUALQUER NÚMERO DE PARTICIPANTE E BAHIA ENTRA NA SEGUNDA ONDA DA COVID-19 DIZ SECRETARIO



A realização de shows e festas está suspensa em toda a Bahia. A decisão, que será publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) desta sexta-feira (4), faz parte do decreto nº 19.586.

Conforme a publicação, ficam proibidos os "shows, festas, públicas ou privadas, e afins, independentemente do número de participantes". O decreto tem validade até 17 de dezembro, com indicativo de renovação. 

 Na última quarta-feira (2), o governo do Estado já havia prorrogado o decreto, que também suspende as aulas nas unidades de ensino das redes pública e privada e proíbe eventos e atividades com presença de público superior a 200 pessoas.

O governador disse ainda que solicitou à Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) que monitore as redes sociais de estabelecimentos no estado, para que fiquem cientes se há previsão para realização de festas ou não.

“Passei hoje para o secretário de Saúde e vou pedir agora para o secretário de Segurança que faça o monitoramento das redes sociais para qualquer bar, qualquer barraca, qualquer estabelecimento comercial que esteja chamando para festa, nos meses de dezembro e janeiro; que a polícia atue preventivamente, faça a notificação desse ente comercial avisando que não será permitido, e que a polícia fará o bloqueio de entrada desses estabelecimentos. Nós não permitiremos festa em nenhuma quantidade de público”, enfatizou o governador.

De acordo com o secretário estadual da saúde, Fábio Vilas-Boas, já é possível dizer que a Bahia vive uma segunda onda da pandemia da covid-19. Ele afirma que as taxas atuais de crescimento dos casos da doença são iguais às que tínhamos em junho, só que com um detalhe importante: existe agora um surto geral, com os índices aumentando em todas as regiões do estado de uma vez só.

O secretário também informa que as taxas de internação estão muito superiores às que foram registradas no começo do ano e que há dificuldade de fazer a transferência dos pacientes de uma região para outra, porque todas estão cheias.


Mensagem enviada pelo Macaubense Robério Nunes


FONTE: Bahia Noticia

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário