domingo, 14 de março de 2021

COVID-19 MACAÚBAS: 6ª (SEXTA VITÍMA) FALECE DE CORONAVÍRUS NO MUNICÍPIO DE MACAÚBAS BAHIA

Porcina Maria De Barros, com 95 anos, faleceu na tarde deste domingo, hoje dia 14 de março em Macaúbas-BA. Quem conheceu D. Porcina chora essa dor da grande perda e já sente SAUDADE dessa GUERREIRA, MULHER FORTE, DESTEMIDA, AMIGA DE TODOS, ESPÍRITO SOLIDÁRIO, EXEMPLO DE MULHER.

D. Porcina, não mediu esforços pra criar filhos e pra ajudar na criação dos netos e até bisnetos,  enfrentando serviço considerado  pesado até pra homem: uma das lembranças que ela deixou aos moradores da Praça da Feira foi carregar no ombro  saco de milho, do local da compra até à sua pequena barraca, onde media litros e pratos pra atender aquelas pessoas que não tinham condição pra comprar quantidade maior; trabalho pra ganhar um pouco que ela considerava muito, ela não rejeitava; lavava roupas, cozinhava, criava galinha, porco e, tudo fez pra seus dependentes não passarem necessidade.

Cumpriu com a ajuda de Deus a sua confiada missão aqui na terra com dignidade, responsabilidade, com uma coragem ímpar.

Mesmo tendo o maior cuidado pra não ser contaminada, recebeu as duas doses da vacina contra COVID-19, perdeu a luta contra essa traiçoeira moléstia.

D. PORCINA PERDEU ESSA LUTA CONTRA UM INIMIGO INVISÍVEL, PORÉM, FOI PRA O PARAÍSO COMO UMA VERDADEIRA HEROÍNA.

É bom esclarecer que se vacinar não garante ficar livre de contrair a doença, mas vai evitar que o covid evolua para um caso grave.

Tem também o período até a vacina fazer efeito. 

Então por via das dúvidas, melhor se vacinar

HOMENAGEM

Porcina Maria de Barros, filha de Faustino e Aquilina, mulher, mãe, avó, bisavó e tataravó guerreira, nordestina, de garra, força e fé, que aos 95 anos ainda estava de pé.

Nascida e criada no riacho dos caldeirões lá na cidade de Macururé, Fazendeira de sal, costura e fiar, trabalhava de sol a sol para seus pais ajudar.

Quando moça morava com sua madrinha Catarina, moça velha e sem filhos para poder ajudar, de herança ficou uma marram de gado, e também um cercado para bode criar.

Se casou por impulso após um desamor encontrar, disse ela: casarei com o primeiro cão que encontrar! 

Viajou por muitos cantos para seu marido acompanhar, teve 9 filhos 2 abortos cada um em um lugar! Uauá, canudos, Euclides da Cunha... já morou em muito lugar!

Mas foi em Macaúbas que resolveu ficar! 

Andava para o açude a pé para plantar, bacia de batata na cabeça para sua família sustentar.

Dominava o fogão quantas delícias saiam de lá, era bolo, doce, cocada, chimango tudo num só lugar!

Viúva de marido separado, tanta coisa teve que enfrentar, humilhações, traições, mas te desconjuro se o divórcio eu vou te dá!

De uma fortaleza que não dá pra imaginar, já enterrou filho e até neto sem deixar se abalar!

Feliz aquele que a conheceu, e que com ela pode conversar.


Dona de prosas, dizeres e canções o exemplo mais belo de mulher e ficará para sempre em nossos corações!

 Uma belissima homenagem da neta,

 Ana Claudia

Um comentário:

  1. Ana Cláudia
    Quanta capacidade pra expressar os seus verdadeiros sentimentos!Vc fala com o coração e,me deixa muitíssimo emocionada,assim tbm aos que conheceram D.PORCINA.
    Fiquei contente ao conhecer a pequena biografia dessa simples mulher que, com bravura e humildade conquistou amizade e admiração de tds nós macaubenses.Tentando esquecer a ida dessa grande amiga,ao mesmo tempo não consegui segurar o riso brotado no canto da boca e, pra mim mesma exclamei:
    "O ESPINHO JÁ NASCE COM A PONTA".
    Parabéns, Ana Cláudia!


    ResponderExcluir