quarta-feira, 12 de agosto de 2020

EM TEMPOS DE PANDEMIA, OUVIMOS MUITO SOBRE ISOLAMENTO SOCIAL E DISTANCIAMENTO SOCIAL, E ISSO NOS GERAM MUITAS DÚVIDAS NÃO É MESMO?


JUNTOS VENCEREMOS O CORONAVÍRUS


No dia 20 de março o Ministério da Saúde declarou o reconhecimento da transmissão comunitária do novo coronavírus em todo o território nacional, ou seja, o Brasil deve se unir contra o vírus.

Como não possuímos vacina ou medicamento curativo para a COVID-19, nossa única alternativa é o isolamento social.

Com o isolamento social o número de pessoas infectadas é menor, pois, se cada pessoa infectada tiver contato com um número menor de outras pessoas, menos serão infectadas. Com isso, há redução importante na velocidade de propagação da doença e, também, com menos pacientes graves ao mesmo tempo, possibilitando que o sistema de saúde consiga lidar com a chegada de novos casos.

MEU FILHO É CRIANÇA, ESTÁ COM SAUDADE DOS AVÓS, POSSO LEVÁ-LO PARA VISITÁ-LOS?

Definitivamente não. Os idosos são as pessoas com maior risco para desfecho ruim pela COVID-19, desfechos estes como sequelas graves, complicações e até mesmo óbito.

Ao mesmo tempo, crianças tendem a ser portadores pouco sintomáticos ou mesmo assintomáticos, ou seja, podem transmitir o vírus mesmo sem sintomas, então este contato deve ser sempre evitado.

QUAL A DISTÂNCIA RECOMENDADA DEVEMOS TER DAS PESSOAS, CASO PRECISEMOS SAIR DE CASA?

A recomendação atual é idealmente 2 metros. Isso porque a transmissão habitualmente é por gotículas, e estas não conseguem “andar” mais que esta distância no ar. Mas sempre precisamos ter cuidados com onde encostamos, pois o vírus pode permanecer ativo em superfícies em torno de 12 horas.

SE PRECISAR IR AO MERCADO OU À FARMÁCIA, QUAIS CUIDADOS DEVERÃO SER TOMADOS?

Evitar ficar a menos de 2 metros de distância de outras pessoas, evitar ao máximo tocar o rosto e sempre higienizar as mãos, seja lavando ou utilizando álcool em gel 70%.

POSSO PASSEAR COM MEU CACHORRO NA RUA OU FAZER EXERCÍCIOS AO AR LIVRE?

O ideal é evitar quaisquer atividades que possam levar ao contato próximo com outras pessoas e ter cuidado com as superfícies, porém tomando os devidos cuidados e limitando o tempo do passeio ou dos exercícios é possível, desde que você não tenha outras doenças ou seja idoso.

ONDE O VÍRUS SE MANTÉM VIVO? E POR QUANTO TEMPO VIVE EM CADA OBJETO?

Já há alguns estudos publicados quanto a isso, até mesmo em jornais médicos de renome, como o New England Journal of Medicine, que mostram uma persistência do vírus em torno de 12 horas na maioria dos materiais (como, por exemplo, plástico, vidro e outros), porém estes estudos foram feitos em condições de laboratório, com temperatura e umidade fixas.

Não há estudos ainda de como o vírus se comporte em materiais expostos à elementos ou mesmo a luz solar, mas por segurança devemos considerar como, no mínimo, 12 horas de persistência do vírus.

SE O VÍRUS CIRCULA NO AR, MESMO COM DISTANCIAMENTO SOCIAL PODEMOS NOS CONTAMINAR?

O vírus, em situações normais, não circula no ar e sim em gotículas, como as produzidas quando tossimos ou espirramos.

Em algumas situações específicas que ocorrem geralmente dentro de hospitais, o vírus pode, sim, circular “no ar”, como, por exemplo, quando um paciente está sob ventilação mecânica ou quando realiza uma inalação.

As formas mais habituais, neste momento, para as pessoas se contaminarem, é por meio de superfícies e posterior contato com rosto ou olhos ou por estarem muito próximas de outras contaminadas.

SEMPRE É IMPORTANTE LEMBRAR QUE ALGUMAS PESSOAS QUE PEGARAM O VÍRUS SÃO ASSINTOMÁTICAS, PORÉM MESMO ASSIM PODEM TRANSMITIR O VÍRUS.






Nenhum comentário:

Postar um comentário