sexta-feira, 11 de setembro de 2020

JUSTIÇA SUSPENDE RETORNO DAS AULAS PRESENCIAIS


A Justiça do Trabalho suspendeu nesta 5ª feira (10.set.2020) o retorno das aulas presenciais na rede particular do Rio de Janeiro. A decisão engloba escolas e universidades do Estado. Atende à pedido de sindicatos do setor.

Segundo a decisão, a retomada das aulas só deve ser realizada quando houver vacina disponível contra a COVID-19 ou quando a segurança para o retorno for comprovada para alunos, professores e à sociedade fluminense.

Parte inferior do formulário
A liminar determina ainda que docentes ou universidades que convocarem aulas ou atividades presenciais estarão sujeitos à multa de R$ 10.000 por dia. Além disso, o Governo do Estado deve expedir novo decreto suspendendo as classes.

O juiz Elísio Correa de Moraes Neto disse na ordem que a retomada provoca aglomerações para além do ambiente educacional.

“Vale salientar que o retorno às aulas representa significativa aglomeração de pessoas em 1 mesmo ambiente fechado e no transporte público, quando em comparação a outras atividades em que já ocorreu o retorno, ainda que com restriões, destacando-se, ainda, que se trata do envolvimento, em grande parte, de crianças, que nem sempre estarão aptas para a adaptação aos critérios sanitários”, declarou.

O GOVERNO DO RIO DISSE QUE AGUARDA A NOTIFICAÇÃO OFICIAL. AS AULAS SERIAM RETOMADAS NA 2ª (14.SET)

O governador –agora afastado– do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), autorizou a retomada das aulas presenciais no Estado a partir de 14 de setembro para a rede privada. A medida foi publicada em edição extra do Diário Oficial de 19 de agosto e tinha caráter de recomendação.

Na ocasião, o Estado destacou que “os municípios têm autonomia para manter suas determinações e regras”.

Segundo o decreto, as aulas presenciais só poderiam ser retomadas em regiões que estejam classificadas com baixo risco de contaminação pela COVID-19 por, pelo menos, 2 semanas seguidas da data prevista para a volta.






SERÁ O QUE BRASIL ESTA PREPARADO PARA ABRIR AS ESCOLAS





Nenhum comentário:

Postar um comentário