sexta-feira, 4 de dezembro de 2020

GAS DE COZINHA E ENERGIA: AUMENTO PARA A ALEGRIA DOS BRASILEIROS!

O preço médio da estatal será equivalente a R$ 33,89 por botijão de 13 quilos. No acumulado do ano, houve aumento de 21,9%, ou R$ 6,08. ... No acumulado do ano, houve alta de 21,9% ou de R$ 6,08 por botijão.

Conforme acompanhamento com base em dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), na semana de 25 de outubro de 2020 a 31 de outubro de 2020, 43% do preço ao consumidor final correspondiam à parcela da Petrobras e os demais 57% traduziam as parcelas adicionadas ao longo da cadeia até clientes finais, referindo-se a tributos e margens brutas de distribuição e revenda.




"Os preços de GLP praticados pela Petrobras seguem a dinâmica de commodities em economias abertas, tendo como referência o preço de paridade de importação, formado pelo valor do produto no mercado internacional, mais os custos que importadores teriam, como frete de navios, taxas portuárias e demais custos internos de transporte para cada ponto de fornecimento. Esta metodologia de precificação acompanha os movimentos do mercado internacional, para cima e para baixo", informou a estatal.

Ao longo do ano, refletindo as reduções e as variações do mercado internacional, a Petrobras reduziu os preços de venda do GLP às companhias distribuidoras, chegando a uma variação acumulada de -21,4% em maio (-5,96 reais por botijão de 13 kg). Da mesma forma, os preços acompanharam a recuperação do mercado internacional, também sendo influenciados pelo câmbio. Atualmente, a variação do preço médio acumulada no ano é de 21,9%.



Além da alta dos alimentos, os brasileiros vão ter que lidar com o aumento da conta de luz em dezembro, por conta da decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) de reativar o sistema de bandeiras tarifárias com a bandeira vermelha patamar 2. Por isso, a inflação vai continuar em alta e deve fechar o ano acima da meta de 4%.

Você sabia que com a energia solar você consegue reduzir sua conta de luz e ainda se proteger de futuros aumentos, tais como, bandeiras tarifárias e revisões tarifárias, que historicamente, superam em muito os índices de inflação? 

O que são as bandeiras tarifárias?

Desde o ano de 2015, as contas de energia passaram a trazer uma novidade: o Sistema de Bandeiras Tarifárias. Dessa forma, tem-se as seguintes modalidades: verde, amarela e vermelha   as mesmas cores dos semáforos. Trata-se de uma sinalização para indicar se haverá ou não acréscimo no valor da energia a ser repassada ao consumidor final, em função das condições de geração de eletricidade.

  • Bandeira amarela: condições de geração menos favoráveis. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,01343 para cada quilowatt-hora (kWh) consumidos;
  • Bandeira vermelha Patamar 1: condições mais custosas de geração. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,04169 para cada quilowatt-hora kWh consumido.
  • Bandeira vermelha Patamar 2: condições ainda mais custosas de geração. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,06243 para cada quilowatt-hora kWh consumido.
  • Bandeira verde: condições favoráveis de geração de energia. A tarifa não sofre nenhum acréscimo;


Nenhum comentário:

Postar um comentário