quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

COVID-19 MACAÚBAS: O MUNICÍPIO ESTÁ PREPARADO PARA RECEBER, ARMAZENAR E INICIAR A CAMPANHA VACINAL DO CORONAVÍRUS?

Ainda Não…

Apesar do Governo Rebonato dizer que neste primeiro momento a prioridade é a saúde, o município ainda é deficitário (e quase sempre foi) no que diz respeito a sua estrutura física de armazenamento das vacinas comumente utilizadas em campanhas tradicionais pertencentes ao Sistema Nacional de Imunização, tendo postos de saúde com estrutura decadente, armazenamentos inadequados e hoje conta com deficiência grave de pessoal, ou seja; como informa o Governo Federal através do Ministério da Saúde, neste mês de janeiro deve começar a vacina contra COVID-19 em todo território nacional e Macaúbas, (HOJE), NÃO TEM CONDIÇÕES de iniciar uma campanha vacinal deste porte. 

Um dos motivos é a falta de equipamentos (no caso geladeiras) para armazenar as vacinas e outra é o seu escasso quadro de pessoal técnico e sendo assim, o município tem apenas 15 dias para fazer tudo isso, e pelo andar da carruagem,  15 dias não é tempo o suficiente pelo que se ver no ritmo dos galopes!

As possíveis soluções: 

01- Locação de freezers/geladeiras bem como de espaço para sua guarda, visto que o Centro de Saúde não é um lugar seguro, devido às suas instabilidades de energia e falta de espaço.

02- Contratação de técnicos habilitados. Hoje com os fim dos contratos de boa parte dos profissionais da saúde, o município conta com poucos profissionais em diversos setores da saúde e no item imunização a deficiência é grande, e mais grave ainda é que se trata de técnicos que devem ser treinados, capacitados para exercerem o ofício, o que demanda seleção e tempo para tanto.

Entre outras medidas, os municípios já deveriam ter uma estratégia de campanha e não ficar esperando do Governo Federal ou do Estado a “receita pronta”, visto que, no caso de Macaúbas, alguns postos de saúde na zona rural estão ainda fechados, outros em péssima situação com falta de tudo. Os esforços daqui para frente é priorizar “também” a campanha vacinal contra o COVID-19, ou o município poderá ser um dos últimos a ser contemplado com vacina devido a falta de estrutura básica necessária.


 FONTE: Blog Alécio Brandão


Nenhum comentário:

Postar um comentário