sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

A 4 CIPM MACAÚBAS DA INÍCIO A OPERAÇÃO COVID-19 E QUEM DESOBEDECER O DECRETO PODERÁ SER PRESO

Para conter o aumento dos casos da COVID-19 no Estado da Bahia o Governador do Estado decretou toque de recolher por 7 dias, se o objetivo não for atingido a Bahia poderá entrar em LOCKDOWN, esperamos que a população faça sua parte.

O Poder Judiciário, Ministério Público, Polícia Civil e 4ª CIPM Macaúbas estão fazendo a sua parte; A PM Macaúbas esta fiscalizando e  orientando a população sobre a necessidade do isolamento social nesse momento em que a PANDEMIA DA COVID-19 está saindo do controle.

A Secretaria de Saúde de Macaúbas também precisar fazer a sua parte intensificando as normas para conter a propagação da COVID-19, será preciso morrer quantos para a nova gestão voltar pagar a gratificação dos funcionários da saúde que estão colocando suas vidas em jogo em prol da população, para reabrir a barreiras sanitárias, para intensificar as fiscalizações, para fechar por dias os comércios que não seguirem o Decreto, tem muito comércio bom, que respeita os Decretos e foram penalizados






Com o objetivo de eliminar as aglomerações noturnas, a Polícia Militar da Bahia atua a partir desta sexta-feira (19) para garantir o cumprimento do decreto do governador do Estado, Rui Costa, que determina o toque de recolher em 343 cidades baianas por sete dias, de 22h às 5h. A determinação, que visa provocar uma redução da taxa de crescimento da Covid-19 no estado, seguirá em vigor até o dia 25 de fevereiro.

A Circulação de pessoas nas ruas entre 22h e 5h será restrita e os estabelecimentos de serviços não essenciais deverão encerrar as suas atividades até as 21h30. Em Salvador, os transportes públicos funcionarão até as 22h30. “O foco da PM é não permitir aglomerações. Estaremos utilizando o bom senso, sabendo que haverá trabalhadores retornando para suas casas e pessoas que precisam circular por necessidade ou em busca de serviços essenciais como farmácias e hospitais”, pontuou a porta-voz da Polícia Militar, major Flávia Barreto.




Nenhum comentário:

Postar um comentário