segunda-feira, 12 de abril de 2021

COVID-19: CHEGA AOS DISTRITOS E POVOADOS BRASILEIROS CAUSANDO MEDO, AGONIA, PREOCUPAÇÃO E MORTE

DEPOIS DE 1 ANO SEM VISITAR A TIA SOBRINHA FAZ UMA VISITA SUPRESA, MAS, NÃO ENTRA NA RESIDÊNCIA, NÃO ABRAÇA E NÃO DA NEM APERTO DE MÃO

COVID-19 POR FALTA E POR EXCESSO

O primeiro surto do CORONAVÍRUS aconteceu nas grandes cidades do Brasil; daí, com o passar do tempo, foram aparecendo pessoas contaminadas nas pequenas cidades do interior dos estados brasileiros, quando surgiu o nome PANDEMIA, praga que afetou simultaneamente grande número de indivíduos na mesma localidade.

Percebe-se que, atualmente cresce o número de novos casos de covid-19 nos distritos dos municípios, nos povoados, localidades da zona rural.

A hospitalidade EM EXCESSO, característica comum dessas pessoas que agradam a quem chega à sua porta com "café covarde", porque sempre aparece acompanhado, doces variados e, a prosa animada que nunca falta, tratamento esse seja com parentes, amigos conhecidos ou estranhos.

ESSA É A MANEIRA CERTA PARA AS AMIGAS CONVERSAREM DISTANTES UMA DA OUTRA E DE MÁSCARA


ESSA É A MANEIRA ERRADA PARA SE FAZER VISITA AMIGAS CONVERSANDO PERTO UMA DA OUTRA E SEM USAR MÁSCARA

No visitante nessa época da PANDEMIA, onde a orientação é PERMANECER EM CASA, tá faltando solidariedade, consideração, gratidão e até mesmo consciência abusando da bondade dessa gente.

Pra evitar esse contágio, é necessário que haja um controle nessas medidas:

Que essa costumeira hospitalidade seja guardada pra depois, e as visitas sejam feitas quando estivermos livres dessa moléstia que exige mudanças dos nossos hábitos, dos nossos costumes.

Se no isolamento em que estamos, quando filhos não abraçam os pais e os netos não sentam no colo dos avós, como se explica visitar e ser visitado se estamos cansados de saber que, para evitar ser contaminado é preciso MANTER DISTÂNCIA, de no mínimo dois metros entre as pessoas?


Vamos fazer da nossa parte para Deus nos ajudar.  Conviver em harmonia, SIM!


COVID-19 NÃO! Vamos ser coerentes: 


NEM POR FALTA, NEM POR EXCESSO


Nenhum comentário:

Postar um comentário