quarta-feira, 3 de fevereiro de 2021

MACAÚBAS: CURSOS TÉCNICOS PROFISSIONALIZANTES, QUEM TEVE A IDÉIA?


Diante o exposto sobre a nota no blog de Alécio Brandão no dia 29 de janeiro de 2021  em relação a implantação pelo município dos cursos técnicos profissionalizantes voltados para a sociedade capitalista imediatista como a nossa e em crise, tenho uma ressalva a fazer com relação a nota publicada pela assessoria de comunicação da Prefeitura Municipal de Macaúbas – BA, no referido Blog, que apesar de a nota não deixar explícita de quem partiu a ideia, se foi dos governantes do município ou se do Sr. Silmarques Silva Nunes representante do Senai-BA, queria patentear a todos que no início de dezembro, mais precisamente no dia 20 , que alguém da sociedade civil também apresentou esta ideia por telefone, a Secretaria de Ação Social, a senhora Daniela, que já atuava e quem era supostamente indicada para a secretaria.

Como também foi falado da adesão ao selo UNICEF por se tratar o nosso município de região semiárida e relevante para diminuição de índices de vulnerabilidade social, que leva em consideração o trabalho em rede e atrai investimentos em algumas regiões acometidas por catástrofes naturais e calamidade pública.  Quando a proposta foi levantada a mesma, aparentemente, não parecia estar em seu plano de ação, porque não houve reciprocidade sobre o assunto em questão.


Não venho a pedir retificação da assessoria política, mas sim conhecimento por parte da sociedade. Como Analista Social reconheço a grandeza do projeto para o enfrentamento dos diversos níveis de vulnerabilidade social, principalmente àqueles advindos de um contexto pandêmico. Observo o município desde o começo da pandemia e como diagnostique a carência de políticas públicas postas até então. Acabei por apresentar a idéia a ela no intuito de fortalecermos juntos mecanismos alternativos de sobrevivência para e período tão difícil como o que nos encontramos e que aumentará, infelizmente, o número de pessoas que se encaixam em algum nível de vulnerabilidade social.

A crise de 1929 e a atual pandemia nos impulsiona e nos ensina enquanto Macaubenses a buscarmos mecanismos alternativos para economia local e tentarmos reduzir os impactos de uma crise que não tem tempo certo de acabar. É tempo de aquecermos a economia solidária; é tempo de valorizarmos o que é nosso!

Ciente de que todos não possuem a mesma condição material de existência e sabendo da magnitude da Secretaria e pouco destaque da mesma, nas reuniões do legislativo é sociedade civil, venho a pedir, enquanto cidadã, o Plano de Ação Contingencial / Emergencial da Secretaria de Ação Social do município de Macaúbas no contexto pandêmico. Porque sou daquelas que defendem a tese de que para TER SAÚDE é necessário antes SOBREVIVER!

Maria Nazaré Silva Bastos Magalhães, Cientista Social, Licenciada em Sociologia e Pós-Graduada em Educação Técnica Profissionalizante.


Nenhum comentário:

Postar um comentário